15 de outubro 2021

Por: Maria Laura Saraiva *    Fonte: EQL - TERRA

Desde 1963, o dia 15 de outubro é lembrado no Brasil por ser o dia daqueles que formam todos os outros profissionais: o professor. Com tamanha importância para a sociedade, a profissão é protagonizada por elas, as mulheres. De acordo com dados do Censo Escolar de 2020, 81% dos docentes de escolas regulares, técnicas e EJA (jovens e adultos) são do gênero feminino.

Apesar disso, o acesso à educação entre mulheres demorou para acontecer no país. Durante 327 anos, apenas homens eram autorizados a frequentar a sala de aula, enquanto mulheres de todas as idades, classes e etnias eram proibidas de estudar. A situação só foi mudar em 1827, quando instituições particulares passaram a aceitar alunas de famílias abonadas – o que excluía negras e indígenas.

Para preencher essa lacuna, o trabalho das professoras foi essencial. Nesse período, destacaram-se nomes como Nísia Floresta Augusta e Anália Franco, mulheres que usaram sua posição e profissão para difundir a inclusão educacional. Já nomes recentes, como Macaé Evaristo, Êda Luiz e Lélia Gonzalez, sobressaíram-se pelo ativismo social e pela adoção de técnicas inovadoras de pedagogia.

Veja, abaixo, 11 mulheres cujas contribuições foram fundamentais para aumentar o nível de inclusão na educação brasileira:

Quer

saber mais?

Clique ao lado e me diga como posso lhe ajudar!

Clique ao abaixo e me diga como posso lhe ajudar!

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial